Nunca o tema casa esteve tão em evidência quanto nos últimos meses. Ficar em casa se tornou necessário para estar protegido do novo coronavírus e nossos lares se transformaram em espaços seguros. Ao passar tanto tempo em casa, começamos a pensar mais sobre questões como estrutura, aconchego e também em como ser mais sustentável. Afinal, em consequência, começamos a gastar mais energia, água e a produzir mais lixo.

Para o mestre em arquitetura Heliomar Venâncio, a pandemia promoveu a valorização das casas. “Muitas pessoas passaram a desejar uma casa que integre elementos sustentáveis e traga o conforto necessário para descansarmos e nos sentirmos bem em um espaço individual ou comum”, conta. Ele compartilhou com a Emidio Pais cinco dicas para ter uma casa mais sustentável. Confira!

 

1- Iluminação e ventilação

 

Ventilação homogênea é essencial. Para isso, é necessário que a casa tenha vãos mais generosos e direcionados para os locais onde estão os ventos dominantes. Isso traz conforto térmico e mais saúde. “Mais do que nunca é essencial que a casa seja ventilada e receba a luz do sol, tão importante no processo de limpeza e renovação do ambiente. E o melhor: são elementos naturais e gratuitos!”, destaca Heliomar.

 

Um ambiente bem iluminado e ventilado faz toda a diferença

 

2- Energia

 

Hoje em dia temos equipamentos eletrônicos que ajudam na economia. as lâmpadas de led são ótimas aliadas. as geladeiras junto com os chuveiros elétricos são grandes consumidoras de energia em uma casa. os equipamentos devem ter o selo do procel. geladeira e ar condicionado com sistema  inverter gastam menos energia que aparelhos comuns.

Além disso, é essencial ter consciência sobre o uso correto da energia, apagando as lâmpadas quando não estiver no ambiente ou usar sensor de presença quando possível. “Outra opção é o uso da energia solar, com a produção limpa da própria energia. Apesar de alto, o investimento traz retorno financeiro a longo prazo e contribui com o meio ambiente”, explica Heliomar.

Lâmpadas de LED são mais econômicas

 

Condomínio com energia solar

 

Lâmpadas de LED da Stella Iluminação

 

Lâmpadas de LED da Stella Iluminação

 

 

3- Água

 

Existem muitas forma de economizar água. No mercado, temos produtos como chuveiros e torneiras com menos volume de água por minuto, vaso sanitário de três e seis litros, para citar alguns exemplos. 

“São muito os elementos economizadores que podem ser especificados pelo profissional durante um projeto. O armazenamento de água da chuva com o uso de reservatórios é outra alternativa. Lembrando que o uso de água e energia envolve a educação, saber usar com consciência para não faltar”, comenta Heliomar.

 

Chuveiro Heaven, da Docol

 

Misturador Lavatório Duna Quadratta, da Deca

 

Vaso sanitário Monte Carlo, da Deca

 

4- Materiais 

 

“Existe hoje uma gama de ecoprodutos que podem ser usados nas construções, como tintas a base de água e lâmpada LED. O profissional pode especificar durante a obra esse tipo de material que não interfere na natureza’, conta Heliomar. Ele também chama a atenção para o pós-obra com o descarte de resíduos. “Optar por material reciclável é sempre possível. Assim reduzimos a interferência desse conteúdo na natureza”, completa.

 

Uma casa mais sustentável começa na obra

 

5- Resíduos

 

Outra forma de ser mais sustentável é atentar para o descarte de resíduos. De acordo com Heliomar, isso é possível desde o início de uma construção, com a escolha dos materiais e o seu posterior descarte consciente. O cuidado com o consumo também está em evidência, fazendo muita gente rever a quantidade de produtos que consome. 

“Nesse cenário, é necessário atentar para o descarte adequado. Separar o lixo em úmido, seco, papelão e ferro. O lixo úmido, por exemplo, pode ser depositado em uma composteira e depois ser usado como adubo em hortas e plantas”, sugere.

 

Separar o lixo contribui com o descarte adequado

 

Heliomar Venâncio, mestre em arquitetura, especialista em engenharia ambiental e especialista em construção civil.